Com personagens LGBTQ, Serrado defende que ‘Crô’ não precisa levantar bandeiras