Seja bem vindo! Salvador, 21 de Setembro de 2018
   
Notícias
Publicada em 12 de Setembro de 2018 ás 07:53:28 Share

Richa passou a noite na sede da cavalaria da PM do Paraná

Preso temporariamente sob suspeita de participação em fraude licitatória, o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), atual candidato ao Senado, passou a noite desta terça-feira (11) na sede da cavalaria da Polícia Militar do Paraná.

Richa foi encaminhado no fim da tarde ao Complexo Médico-Penal, mantido pelo governo paranaense, na região metropolitana de Curitiba —mesma prisão que os detidos pela Operação Lava Jato, onde já estão o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e o ex-deputado André Vargas, entre outros investigados.

No entanto, após pedido da defesa, Richa e sua mulher, Fernanda Richa, foram levados para a sede da cavalaria da PM.

Também foram enviados para o Complexo Médico-Penal  ex-secretário de Infraestrutura Pepe Richa, irmão de Beto; o ex-secretário estadual Ezequias Moreira; o empresário Celso Frare; e os investigados Dirceu Pupo e Aldair Petry. Todos devem ficar na mesma ala dos presos da Lava Jato.

Eles foram presos a pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do estado. No mesmo dia, uma nova fase da Operação Lava Jato, que tinha como alvo a gestão de Richa, também foi deflagrada pela Polícia Federal e prendeu o ex-chefe de gabinete do tucano, Deonilson Roldo.

Os investigados são suspeitos de terem participado de fraudes no programa Patrulhas do Campo, de recuperação e abertura de estradas rurais no interior do Paraná. O governo estadual cedia máquinas como escavadeiras, tratores e motoniveladoras a municípios do interior, para a abertura e manutenção de estradas.

O ex-governador é apontado como chefe de uma organização criminosa que ordenava o recebimento de propinas de fornecedores do governo do Paraná, de acordo com o Ministério Público.

Segundo o juiz Fernando Fischer, que determinou a prisão, "há substratos nos autos que apontam que os investigados se associaram para constituir uma organização criminosa hierarquizada, que, mediante divisão de tarefas, realizaram crimes de fraude à licitação, corrupção e lavagem de dinheiro".

As prisões ordenadas pela Justiça Estadual são temporárias, válidas por cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. A defesa de Richa nega irregularidades e afirma que a operação é "oportunista".

De acordo com o Ministério Público, foram investidos R$ 70 milhões nas licitações do Patrulhas do Campo. Pelo menos 2.000 km de rodovias foram recuperados ou abertos pelo programa na gestão do tucano, que governou o Paraná entre 2011 e 2018.

No total, 12 pessoas foram detidas, de um total de 15 mandados. Também estão presos o primo de Richa Luiz Abi Antoun; o ex-candidato ao governo do Paraná pelo PTC, Túlio Bandeira; e os empresários Emerson e Robinson Cavanhaga.

Três investigados ainda não foram localizados: o empresário Joel Malucelli, que está em viagem no exterior; o ex-secretário estadual de Assuntos Estratégicos Edson Casagrande; e André Felipe Bandeira.

Leia Também
Propaganda “contra” de Irmão Lázaro irrita deputados da base de José Ronaldo

 Um político que assistiu anteontem ao programa eleitoral teve a certeza de que o candidato a senador Irmão Lázaro (PSC) pertencia ao grupo do governador Rui Costa (PT) e não ao do candidato a governador José Ronaldo (DEM). Motivo: Lázaro é único candidato que tem feito discurso aberto, no programa eleitoral, contra a aprovação da reforma da Previdência e a Trabalhista, defendidas pelo partido de Ronaldo e de seus apoiadores. Deputados federais que ajudaram na aprovação da reforma trabalhista por considerarem-na importante para o país são os mais indignados com o candidato do PSC. (Com informações da Raio Laser)

 
Perto da eleição, José Trindade decide se licenciar da Câmara de Vereadores
O vereador José Trindade (Pode) decidiu se licenciar do seu mandato na Câmara de Salvador. Em seu lugar, vai assumir Igor Manasses (PSL). A cerimônia de posse do novo integrante da Casa acontece na próxima segunda-feira (13), às 11h. Trindade deve ser candidato a deputado estadual pelo Podemos na eleição deste ano. Nos últimos meses, outros dois vereadores já deixaram a Câmara em razão do pleito. Sidninho (Pode) deixou o posto para trabalhar na campanha política do grupo ligado ao governador Rui Costa, enquanto Joceval Rodrigues (PPS) será candidato a deputado federal.
 
Prefeitos acordam com Rodrigo Maia votação de projetos sobre licitações e ISS
 
 
 
Em marcha ao Congresso Nacional, prefeitos de várias cidades brasileiras acordaram nesta terça-feira (7) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), a votação da reforma da Lei de Licitações e um substitutivo à reforma do Imposto Sobre Serviço (ISS), para a próxima semana.   De acordo com o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Eures Ribeiro, as duas matérias fazem parte da pauta prioritária do movimento municipalista. “Viemos para articulação forte nesse ano eleitoral. Os municípios estão numa situação de penúria e precisam da sensibilidade do Congresso Nacional”, reclamou o gestor, que também é prefeito de Bom Jesus da Lapa, no oeste Baiano.
 
Senado aprova projeto que tipifica crime de importunação sexual

O Senado aprovou nesta terça-feira (7) um projeto de lei que cria o crime de importunação sexual. A tipificação pode enquadrar, por exemplo, casos registrados de homens que ejacularam em mulheres no transporte público. O texto segue para sanção. A aprovação marca os 12 anos da Lei Maria da Penha, que fortaleceu o combate à violência contra a mulher no Brasil. A lei foi sancionada em 7 de agosto de 2006. A importunação sexual é a prática de ato libidinoso na presença de alguém, sem que essa pessoa dê consentimento. Após a sanção, esses atos se tornarão crimes sujeitos a punição de um a cinco anos de prisão.

 
'Se um homem não está aberto a ouvir críticas a sua administração, então que abandone a vida pública”, alfineta diretora executiva da Rádio Líder FM ao referir-se ao prefeito de Irecê

(Por Fernanda Dourado)

Após uma mensagem vazada do prefeito de Irecê, Elmo Vaz, do grupo de WhatsApp da UNIP- da Associação dos municípios de Irecê, o imbróglio entre a emissora Líder FM e o prefeito da cidade parece estar longe do fim. O grupo tem apenas 18 prefeitos – integrantes da Associação e o diretor executivo da instituição, Renilton Souza. Na mensagem, Elmo Vaz afirma que a emissora “passa 24 horas falando mal da gestão dele e inventando mentiras” . Ele também questiona  a função da instituição: “Eu pergunto: para que existe associação de prefeitos? Cadê a união dos prefeitos?”, protesta. O ex-presidente da Codevasf ainda ameaça deixar a instituição. “Se a UNIP nada pode fazer eu estou informando o meu desligamento da instituição e vou cuidar de minha vida sozinho”, disparou. Em um longo texto, Elmo diz que tomará medidas. “Irei reagir e tomar providências, pois não sou covarde e tenho meios pra isso. Também não sou ingênuo e sei que tem um bandido por trás de tudo isso”, ao referir-se de forma subliminar ao dono da Rádio J. Sydnei. No final da mensagem, Elmo ainda faz um pedido aos colegas gestores: "Espero que essa mensagem não saia desse grupo, pois ela não é pública e quando assim quiser fazer será por minha conta", disse. O Bahia Repórter ouviu a diretora executiva da Rádio Lider FM, Débora Suelen, que diz ser intolerável, no contexto de uma sociedade fundada em bases democráticas, a repressão à imprensa. “O interesse social, que legitima o direito de criticar, está acima de eventuais suscetibilidades e desejos pessoais das figuras públicas. Pelas declarações ao grupo da Unip e dadas a imprensa, demonstra claramente que trata-se de uma perseguição pessoal. Se um homem não está aberto a ouvir críticas a sua administração, então que abandone a vida pública. Continuaremos nosso trabalho, zelando pelo compromisso de informar e dar vez e voz a população ainda que isso nos custe a perseguição dos tiranos e opressores. Nosso compromisso é com a sociedade de Irecê e região. Nosso silêncio não está a venda”, bradou. A jornalista acrescenta ainda que o prefeito já esteve várias vezes na emissora e sempre foi atendido com cordialidade e respeito.O Bahia Repórter tentou por diversas vezes contato com o prefeito municipal, mas não obteve sucesso.
 
Intervenções viárias na Avenida ACM começam nesta quarta (1º)

 A partir desta quarta-feira (1º), quem circular pela Avenida ACM deverá ficar atento às mudanças que acontecerão em alguns pontos da via por conta do início das obras da construção de viadutos, elevados e corredores exclusivos de tráfego do BRT. As alterações foram detalhadas pelo superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, durante coletiva de impren

 
Para Raquel, juiz não pode entrar no mérito de investigação e avaliar diligências do MP

Após uma sequência de seis arquivamentos de inquéritos por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em um período de um mês, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que os magistrados não podem ‘adentrar no ‘mérito’ da investigação, avaliando se as diligências requeridas pelo Ministério Público são eficazes ou não, viáveis ou não’. De acordo com a chefe do Ministério Público Federal (MPF), ao Poder Judiciário cabe, apenas, obstar constrangimentos ilegais evidentes.

 
Para Raquel, juiz não pode entrar no mérito de investigação e avaliar diligências do MP

 

 Para Raquel, juiz não pode entrar no

Após uma sequência de seis arquivamentos de inquéritos por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em um período de um mês, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que os magistrados não podem ‘adentrar no ‘mérito’ da investigação, avaliando se as diligências requeridas pelo Ministério Público são eficazes ou não, viáveis ou não’. De acordo com a chefe do Ministério Público Federal (MPF), ao Poder Judiciário cabe, apenas, obstar constrangimentos ilegais evidentes. “Quanto maior foi a distância do juiz em relação às investigações realizadas pela Polícia Judiciária e pelo Ministério Público, tanto mais imparcial poderá ser ele na análise da prova produzida nessa fase, sendo essa uma garantia individual assegurada pelo sistema pátrio”, diz a procuradora-geral