Conecte-se Conosco

Política

Infecção “branda” por Covid-19 pode não ser tão leve quanto parece, dizem médicos

Publicado

em

Muitas pessoas ouvem seus médicos dizerem que têm uma infecção “leve” por Covid-19 em meio a um avanço da variante Ômicron, altamente contagiosa. Mas a doença pode não parecer tão leve quanto pode parecer.

Foi o que aconteceu com Michelle Cordes, nutricionista de um hospital da região de Chicago. Ela é vacinada, recebeu a dose de reforço e diz que tem feito todo o possível para evitar a infecção do vírus, como usar máscara e evitar aglomerações. Então, quando ela teve um mal-estar em 30 de dezembro, pensou que era um resfriado ou talvez uma alergia ao gato que sua filha trouxe da faculdade.

Para ter certeza, fez um teste em casa e ficou surpresa ao descobrir que era positivo para Covid-19. Seu marido, filho e sogro também testaram positivo.

“Todos os nós desenvolvemos tosse. Todos nós tivemos coriza nasal. Minha garganta coçou, e meu marido e eu tivemos suores noturnos por quatro noites seguidas”, disse Cordes.

O que uma doença “leve” acarreta?

“Suave” é uma palavra que parece se adequar aos sintomas de Cordes, em comparação com os que ela vê em seus pacientes no hospital, disse. Mas sua doença também não parecia um pequeno resfriado.

A sensação real durante a Covid-19 pode variar drasticamente. Estudos demonstraram que a doença causada pela variante Ômicron é geralmente mais branda do que a causada pela variante Delta do coronavírus, e algumas pessoas não apresentam sintomas ou apresentam apenas um breve resfriado. Mas ainda pode causar doenças graves, especialmente entre pessoas não vacinadas.

Existem atualmente 126.410 pessoas hospitalizadas com Covid-19 nos EUA, cerca de 89% do pico do ano passado, de acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) dos Estados Unidos.

Mas mesmo uma doença “leve” pode ser desconfortável e prolongada.

A definição do National Institutes of Health (NIH) de Covid-19 “leve” inclui sintomas com os quais as pessoas estão muito familiarizadas atualmente, como febre, tosse, dor de garganta e fadiga. São sintomas que o Dr. Shira Doron percebeu que não são dignos de nota.

O uso da palavra “suave” “não tem a intenção de minimizar sua experiência”, disse Doron, epidemiologista de hospital e médico infectologista do Tufts Medical Center, em Boston.

Mesmo pessoas com uma doença leve podem desenvolver o que é chamado de “covid longa”, com sintomas que persistem por seis meses ou mais. O médico acredita que o termo “leve” usado por especialistas pode precisar ser reformulado.

“Quando nós, ou o CDC ou o NIH, dizemos ‘leve’, realmente queremos dizer que você não ficou doente o suficiente para ir ao hospital”, disse Doron. “Mas quando você tem uma doença semelhante à gripe que o leva a cama, isso não é leve para você.”

Cordes acabou ficando de repouso por três dias, algo que ela diz nunca ter feito antes.

“Sentimo-nos mal e cansados”, disse Cordes. Esta semana ela está se sentindo melhor, mas ainda não voltou ao trabalho.

Dave Juday também ficou chocado quando um teste de rotina de Covid-19 deu positivo em 8 de dezembro. O instrutor de rádio e áudio de escola secundária do Arizona passa por testes semanais e é muito cuidadoso ao usar sua máscara, pois não quer levar a doença para sua esposa, que tem lúpus. O vice-diretor de sua escola até disse a ele que seu teste positivo assustava as pessoas.

“Eles me disseram que se eu posso pegar Covid, qualquer pessoa pode ter, tenho muito cuidado”, disse Juday.

As vacinas e reforços funcionaram, disse ele. Ele nunca teve que ir ao hospital, mas uma leve dor de cabeça se transformou no que parecia ser uma das piores dores de cabeça dos seios da face que ele já teve.

“Minha cabeça parecia uma bola de boliche, e meu olfato e paladar estavam desaparecendo”, disse Juday.

Ele se sentia bem o suficiente para ensinar virtualmente. “Mesmo eu assoando o nariz 500 vezes porque parecia Rudolph no Zoom com minhas aulas”, disse Juday. “Eu nem quero saber como teria sido se eu não tivesse sido vacinado.”

Quando seu corpo apresenta esses sintomas, está fazendo o que deveria, disse Doron: neutralizando o vírus.

“Isso é bom, mas não parece certo”, disse Doron. “Os sintomas em si não são perigosos e você não precisa procurar atendimento médico.”

Desvantagens

Com uma Covid “leve”, não é necessário ir ao pronto-socorro, principalmente em um momento em que os recursos de saúde são escassos.

Chamar a doença de “leve” pode ter outra desvantagem: pode fazer com que algumas pessoas não a levem a sério o suficiente.

“Tem havido tanto cansaço com a Covid, e isso está associado ao desejo de voltar ao normal, ou o mais próximo do normal, que as pessoas podem banalizar seus sintomas e decidir não fazer o teste de Covid ou gripe”, disse o Dr. William Schaffner, Professor de Doenças Infecciosas do Vanderbilt University Medical Center.

Mesmo com sintomas leves, as pessoas devem fazer o teste para Covid-19, disse ele, para ver se os sintomas estão piorando e precisam de atenção médica. Um teste também informará se eles precisam se isolar para não espalhar o coronavírus para outras pessoas.

“Seu caso pode ser leve, mas você pode infectar tia Susie, que tem diabetes, e ela pode ficar muito mais séria”, disse Schaffner.

E embora a variante Ômicron possa estar causando mais casos de doença leve do que as variantes anteriores, as pessoas não devem usar isso como desculpa para renunciar a vacinas ou reforços.

“As pessoas ainda estão hospitalizadas com isso, e a grande maioria permanece não vacinada”, disse Schaffner. “Um hospital não é um hotel de férias.”

A Dra. Claudia Hoyen, Diretora de Controle de Infecções Pediátricas do Rainbow Babies University Hospital and Children’s Hospital em Cleveland, também tem incentivado todos que você conhece a se vacinarem e tomarem uma dose de reforço.

Os hospitais são bons em ajudar as pessoas com Covid-19, disse ele, mas os sintomas e as complicações podem persistir por muito tempo após uma internação hospitalar.

“Estamos registrando dados que mostram que às vezes até 30% dos pacientes que acabam na unidade de terapia intensiva nunca recuperam a vida como era antes”, disse Hoyen. “Os não vacinados podem pensar que ‘alguém vai me salvar e tudo ficará bem’, mas nem todos recuperam seu nível inicial e sua vida normal.” CNN

Política

Datafolha Rio: Lula lidera com 41% dos votos; Bolsonaro tem 34%

Publicado

em

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como líder na disputa ao Palácio do Planalto entre os eleitores do estado do Rio de Janeiro, com 41% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) segue em segundo, com 34%.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 41% 
Jair Bolsonaro (PL) – 34% 
Ciro Gomes (PDT) – 8% 
Simone Tebet (MDB) – 2% 
André Janones (Avante) – 1% 
Vera Lúcia (PSTU) – 1% 
Sofia Manzano (PCB) – 1% 
Felipe d’Avila (Novo) – 1% 

Pablo Marçal (Pros), Leonardo Péricles (UP), Eymael (Democracia Cristã) e Luciano Bivar (União Brasil) foram citados, mas não alcançaram um ponto percentual. O General Santos Cruz (Podemos) não foi citado.

Votos nulos e brancos no estado representam 7%; e 3% não sabem ou não responderam. O Datafolha ouviu 1.218 eleitores em 32 municípios do Rio de Janeiro entre quarta e sexta-feira desta semana. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo RJ-00260/2022. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Continue lendo

Política

PTB anuncia adesão a grupo a ACM Neto na BA, mas mantém apoio à reeleição de Bolsonaro

Publicado

em

Após tentativas de compor com a candidatura do ex-ministro da Cidadania, João Roma (PL), para a corrida pelo governo da Bahia, o PTB anunciou, na noite desta sexta-feira (1º), a adesão ao projeto do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil), para tentar ser governador da Bahia. O partido, no entanto, mantém o apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro – o ex-prefeito buscar manter o distanciamento da disputa presidencial sem se comprometer com os nomes que tentam chegar ao Palácio do Planalto.

O presidente do PTB na Bahia, Gean Prates, conduziu as negociações e agora foi nomeado presidente da Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos de Salvador (Arsal), integrando formalmente a administração do prefeito Bruno Reis, sucessor e afilhado político de ACM Neto. As idas e vindas com Roma incluíam a busca por indicação do candidato a vice do ex-ministro, porém as conversas não lograram êxito – Roma não garantiu o espaço para os petebistas.

“O Diretório Estadual do PTB Bahia, por seu Presidente Gean Prates, após ouvir a Executiva Estadual e o Conselho Político do partido, decidiu dar apoio à pré-candidatura do Sr. Antônio Carlos Magalhães Neto ao Governo do Estado da Bahia, razão pela qual passa a integrar as ações políticas dirigidas pela futura chapa majoritária União Brasil”, diz o comunicado, assinado por Prates.

Continue lendo

Política

Presidente do PT Bahia testa positivo para Covid-19 e não participa do 2 de Julho

Publicado

em

O presidente estadual do PT, Éden Valadares, informou, no começo deste sábado (2), que testou positivo para a Covid-19 e que vai suspender as atividades pelos próximos dias. Valadares era esperado no ato com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Arena Fonte Nova, coordenado pelo PT baiano e agendado para as 11h.

Por meio de uma postagem nas redes sociais, o dirigente indicou que um assistente dele testou positivo, o que o levou a fazer o autoteste. Valadares, no entanto, tranquilizou os seguidores: “Estou sem sintomas, tomei três doses da vacina, mas vou seguir o protocolo e suspender minha agenda pelos próximos dias”.

Continue lendo
Propaganda
Propaganda

Tópicos populares

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Conteúdo protegido