Conecte-se Conosco

Política

TSE começa a julgar nesta terça ações que pedem cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

Publicado

em

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começa a julgar nesta quarta-feira, 26, duas ações que pedem a cassação da chapa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do seu vice, Hamilton Mourão (PRTB), pelo impulsionamento ilegal de mensagens em massa via WhatsApp nas eleições de 2018. Os processos são movidos pela coligação ‘O Povo Feliz de Novo’, do candidato derrotado Fernando Haddad (PT).

O Ministério Público Eleitoral defendeu a rejeição das ações por falta de ‘elementos concretos sólidos’ que indiquem irregularidades na companha bolsonarista. O parecer levou em consideração a decisão do próprio TSE que, em fevereiro, julgou improcedentes duas outras ações semelhantes movidas contra a chapa Bolsonaro-Mourão.

A chapa petista acusa a campanha bolsonarista de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social. As ações tiveram como ponto de partida reportagens publicadas pela Folha de S. Paulo que trouxeram a público suspeitas em torno da contratação de empresas de tecnologia para disparo em massa de notícias falsas pelo WhatsApp, à margem do controle da Justiça Eleitoral, por meio de robôs, chips de celular cadastrados fraudulentamente com dados de idosos e doações não-declaradas de empresários.

O ministro Luis Felipe Salomão, corregedor-geral da Justiça Eleitoral, é relator das ações e vai abrir os votos. Prestes a se despedir da Corte, ele deu celeridade aos processos nos últimos meses. Salomão também foi responsável pelo pedido para o TSE investigar os ataques do presidente Jair Bolsonaro contra as urnas eletrônicas e pela ordem para interromper a monetização de canais e páginas bolsonaristas que promovem noticias falsas.

O julgamento deve discutir a possibilidade de aproveitamento de elementos colhidos nos inquéritos das fake news e dos atos antidemocráticos, que atingiram a base bolsonarista e foram compartilhadas com as ações de investigação eleitoral, e se as redes sociais devem ser consideradas na categoria ‘meio de comunicação’ para fins de penalidade por uso indevido pelas campanhas eleitorais.Rayssa Motta/Estadão Conteúdo

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Um quarto dos brasileiros não consegue pagar as contas, diz pesquisa

Publicado

em

Com o orçamento apertado, um em cada quatro habitantes no país não consegue pagar todas as contas no fim do mês. A constatação é de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o Instituto FSB Pesquisa, que aponta  redução nos gastos com lazer, roupas e viagens.

Continue lendo

Política

Lula e Bolsonaro fecham alianças nos estados com palanques duplos e tensões

Publicado

em


O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegam ao prazo final das convenções partidárias, encerradas na sexta-feira (5), com palanques duplos, apoios não recíprocos e tensões entre aliados nos estados.

Os também presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), por sua vez, enfrentam um cenário de isolamento, com dissidências em favor de Lula e Bolsonaro ou neutralidade entre parte dos candidatos a governador de seus próprios partidos e de siglas aliadas.

Continue lendo

Política

Justiça nega habeas corpus de Bruno Krupp, preso após atropelamento

Publicado

em

O pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Bruno Krupp foi negado pelo plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio. Assim, o modelo segue internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste. Ele é apontado como suspeito de ter atropelado e matado um jovem de 16 anos no Rio. As informações foram divulgadas pelo G1.

Continue lendo
Propaganda [smartslider3 slider="2"]
Propaganda [smartslider3 slider="2"]

Tópicos populares

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Conteúdo protegido