Conecte-se Conosco

Política

Exclusivo: “Ninguém chegou para mim para dizer: Você vai apoiar Bruno Reis porque é importante eleger ACM Neto”, diz Lúcio Vieira Lima ao afirmar que tem tido conversa com todos os pré-candidatos ao governo antes da decisão de apoio

Publicado

em

(Por Fernanda Dourado) 

O segundo entrevistado do site Bahia Repórter é o presidente de honra do MDB na Bahia e analista político, o ex-deputado federal, Lúcio Vieira Lima. Alegre, espontâneo e irreverente, mas quando o assunto é política o medebista se concentra rapidamente. Habilidoso com a imprensa e com os políticos, Lúcio Vieira Lima – tem berço político – é filho do ex-deputado federal e estadual Afrísio de Souza Vieira Lima (PMDB) – que faleceu em 2016. Irmão de Geddel Vieira Lima, ex-Ministro da Integração e deputado federal, Lúcio afirmou não ter desafetos na política e que, inclusive, todos os pré-candidatos ao governo do estado, ACM Neto (ex-prefeito de Salvador); Jaques Wagner (senador e ex-governador ) e o ministro da cidadania (João Roma) são seus amigos além de admitir que tem diálogos com todos os postulantes, mas admitiu que nenhum apresentou um planejamento de governo. O ex-legislador lembrou que o cortejado MDB – é um partido de centro – e, segundo ele, atrativo. Ainda de acordo com Lúcio o MBD é o quinto em número absolutos de votos no estado da Bahia. Lúcio – ainda afirmou não fazer política com o fígado – e comentou sobre os rumores que o MDB estaria insatisfeito na gestão municipal de Salvador.

Bahia Repórter: O senhor diz em diversas entrevistas que o MDB ainda não decidiu quem apoiará em 2022. Mas também ressalta que a legenda não tem pressa na decisão. O que o MDB está esperando? Uma composição política? 

Lúcio Vieira Lima: Não temos pressa por que o prazo é em abril. Se o prazo fosse amanhã… nos já teríamos nossa decisão, mas temos conversado com antecedência. Esta é uma eleição que já está se mostrando atípica. Uma hora um é candidato. Outra hora, outro é candidato. Nós não sabemos como será o cenário. Do lado do governo: você tem o PT que lançou Jaques Wagner, aí vem o PP que colocou o nome de João Leão, no PSD, Otto – que por sua vez, é candidato. No DEM, ACM Neto que marcou agora o lançamento da pré-candidatura para o dia 2 de dezembro, ou seja, não era nem pré-candidato antes. O João Roma – talvez como estratégia – eu tenho visto na imprensa, nem citam o nome dele. Eu não sei se é por que ele não tem tanta influência na imprensa, mas até evitam de dizer que ele é candidato. Apesar que eu acho que ele é, mas ainda não se colocou como candidato. Ou seja, enquanto não se colocarem como candidato não há titularidade para se conversar com nenhum partido. Parece que querem reunir apoio para se viabilizarem. E deve ser o contrário, apresentar uma candidatura e proposta de governo para que o PMDB examine se este será um bom gestor.

Bahia Repórter: O senhor fala de viabilidade. Nenhum apresentou propostas? O MDB está sendo bem cortejado… pelo mesmo é o que tem saído na imprensa e alguns políticos têm dito nos bastidores ….  

Lúcio Vieira Lima– Eu tenho dito! Os candidatos têm dito. E a imprensa diz o que ela vê. Você tem estes candidatos declarando de público querendo o apoio do MDB- mostra que o MDB é um grande partido e desejado por todos. O MDB é um partido de vanguarda, da redemocratização, das Diretas Já, da anistia, da Constituinte, de Ulisses Guimarães. O maior partido do Brasil! Todo mundo quer ter o MDB. 


Lúcio Vieira Lima sendo entrevistado pela
jornalista política Fernanda Dourad
o

Bahia Repórter: O senhor diz que já conversou com vários candidatos: ACM Neto, ex-prefeito de Salvador, Jaques Wagner, senador e ex-governador da Bahia; João Roma, Ministro da Cidadania. Quais destes candidatos teriam mais afinidade com o MDB? 

Lúcio Vieira Lima: Aí não é questão de afinidade. Eu gosto de todos. Sou amigo de todos. Eu disse outro dia e teve gente que se zangou. Não temos diferença dos candidatos de olhos azuis e um outro candidato um ex-prefeito e tal. 

Bahia Repórter: Quando o senhor diz que não há diferença… O senhor está se referindo a que? 

Lúcio Vieira Lima: Diferença ideológica, programática. Como é que você identifica direita e esquerda? Não existe isso mais.Você não tem bandeira! E não pode ser diferente! Um país que tem 36 partidos registrados no Supremo.

Bahia Repórter: Das conversas que o MDB tem tido… Qual foi a conversa mais recente? 

Lúcio Vieira Lima – Não tem este negócio de dia. Eu converso com João Roma diversas vezes, com Bruno Reis – que articula para ACM Neto, com o próprio Neto, com Wagner. Sou amigo de todos.

“Eu converso com João Roma diversas vezes, com Bruno Reis – que articula para ACM Neto, com o próprio Neto, com Wagner. Sou amigo de todos”

Quando você (Fernanda Dourado) pergunta quem foi o última a falar … fica parecendo que é quem chegar primeiro leva. É essa impressão que não quero que fique. Parecendo que temos interesse em negociar cargos. Aí muitos dizem … ele não vai deixar Neto por que tem cargos e empregos na prefeitura.

Bahia Repórter: Mas o compromisso do senhor foi com quem na prefeitura de Salvador? Com Bruno Reis ou com ACM Neto?

Lúcio Vieira Lima:  Foi com administração de Bruno. Até por que analisamos o projeto que Bruno tinha.

Bahia Repórter: Mas por trás de Bruno tem ACM Neto… 

Lúcio Vieira Lima: Não me falaram que ele (ACM Neto) estava por trás, pela frente ou de lado. Não me falaram. Ninguém chegou para mim para dizer… Você vai apoiar Bruno porque é importante eleger ACM Neto. Não teve isso! E outra as eleições são vinculadas… Como é que vai ficar o MDB nacional? Logicamente nós temos autonomia no estado. Mas não é uma autonomia absoluta. Isso é conversado. Você vê que o PP deixou de filiar o presidente da república filiado por conta das arrumações nos estados. 


“Não me falaram que ele (ACM Neto) estava por trás, pela frente ou de lado. Não me falaram. Ninguém chegou para mim para dizer… Você vai apoiar Bruno porque é importante eleger ACM Neto. Não teve isso!”

Bahia Repórter: Como é que o MDB está caminhando nacionalmente? 

Lúcio Vieira Lima: O MDB está caminhando para lançar uma candidatura própria. Qualquer partido desejaria candidatura própria até por que é um manto sagrado. E para mim o correto seria todos os partidos apresentarem uma candidatura própria. 

Bahia Repórter: O senhor também é a favor de uma candidatura própria do MDB estadual? O MDB baiano tem pretensão de lançar um candidato (a) ao Palácio de Ondina? 

Lúcio Vieira Lima: O MDB na Bahia é exemplo de sempre defender candidatura própria. Foi assim com João Henrique, Geddel, Mário Kertz, João Santana. Mas sabemos que candidatura não se inventa! Não sou candidato de mim mesmo. Já foi o tempo de candidatura de protesto para marcar posição.

Bahia Repórter: O que significou o fim das coligações partidárias para o MDB? 

Lúcio Vieira Lima: Não apenas para o MDB, mas para todos os partidos. O fim fortalece os partidos que tem candidatura majoritária. Por conta do voto de legenda.

Bahia Repórter: O senhor diz que o MDB é um dos partidos mais atrativos. Por que? 

Lúcio Vieira Lima – O MDB é um dos partidos mais atrativos e de centro, ou seja, transita bem em todas as esferas. Vc imagina alguém do DEM indo para o PT ou vice-versa? Não! Mas imagina um desses vindo para o MDB.

“O MDB é um dos partidos mais atrativos e de centro, ou seja, transita bem em todas as esferas. Vc imagina alguém do DEM indo para o PT ou vice-versa? Não! Mas imagina um desses vindo para o MDB”

O apoio do MDB também não desgasta nenhum partido. Tem em estrutura boa, potencial de votos!  Lembrando que a eleição passada me diziam que era o enterro do MDB – devido aos fatos extras políticos. O MDB não depende de nomes. Depende de sua história. Nós saímos da zona como o quinto partido em número absolutos de votos.

Bahia Repórter: Recentemente entrevistei o ministro da cidadania, João Roma, e o questionei sobre as afirmações de alguns políticos que acreditam que haverá polarização mesmo ACM Neto liderando as pesquisas. Roma disse ( sem citar o nome de ACM Neto) que “não é por conta de capricho de uma pessoa que a eleição não será nacionalizada”. Qual a opinião do senhor a respeito? Acredita que a eleição na Bahia será polarizada? 

Lúcio Vieira Lima – Na minha experiência só duas eleições que não puxaram votos: a de Collor – na redemocratização e primeira eleição direta após a ditadura. E recentemente Bolsonaro, mas em uma eleição totalmente atípica que teve facada e, também, muitas pessoas votaram para dar resposta.

“Neto aposta que vão votar em Lula e nele. Wagner aposta que quem vota em Lula vota nele. E Roma acha que quem vota em Bolsonaro vota nele”

Pode ocorrer de tudo! A política é muito variável. Se falar sobre a experiência ….todos sabem que há vinculação. Na Bahia, por exemplo, Geddel perdeu a eleição em 10 dias para Otto. A eleição passada, Ângelo Coronel o pessoal dizia daria – o meu querido e falecido amigo, Irmão Lázaro. Mas isso vai se repetir? Não sei. Então, Neto aposta que vão votar em Lula e nele. Wagner aposta que quem vota em Lula vota nele. E Roma acha que quem vota em Bolsonaro vota nele. Não se pode negar que a eleição nacional se polariza primeiro. Neto ainda não tem uma âncora nacional, mas tá trabalhando e tem dado certo que está na frente das pesquisas. Mas o que João Roma disse também não está errado. A eleição não será nacionalizada por conta de A, B ou C. Isso é tsunami. Quando chega, chegou. Não dá tempo nem de chamar o Samu. Não tou dizendo que vai ou não ocorrer. E Neto tá correndo para que não ocorra e ele tá certíssimo! Agora ninguém tem bola de cristal. 

Bahia Repórter: Como analista político acha que um petista que gosta de Lula  votaria em ACM Neto? 

Lúcio Vieira Lima – Eu acho que a eleição não é de gostar de Neto, Wagner ou Roma. Até por que o exemplo maior tá aqui. Eu gosto dos três amigos queridos, mas não levarei em conta amizade para decidir. Eu vejo dizer que o MDB tá insatisfeito com Neto, o PMDB isso ou aquilo. Nós não fazemos política com o fígado. 

Bahia Repórter: O MDB está insatisfeito? 

Lúcio Vieira Lima – Não foi o que falaram? 

Bahia Repórter- Mas o MDB está insatisfeito? 

Lúcio Vieira Lima – Não estou insatisfeito ou satisfeito com ninguém. Se eu falar que estou satisfeito ou insatisfeito estou diminuindo a força do debate que queremos fazer. A prefeitura que temos cargos não é de Acm Neto. O prefeito é Bruno. Mas não seria a pergunta se eu estamos satisfeitos com Bruno na prefeitura? 

Bahia Repórter- O MDB está ?  

Lúcio Vieira Lima – O MDB ainda não pode julgar – já que vamos analisar o benefício para o que tá trazendo para o povo. Foi ano de pandemia, diminuição de recursos. Se você me perguntasse se eu apoiaria Bruno à reeleição? Apoiaria com tranquilidade. 

“Se você me perguntasse se eu apoiaria Bruno à reeleição? Apoiaria com tranquilidade”

Bahia Repórter- Há compromisso com Bruno para 2024? 

Lúcio Vieira Lima – Claro. A não ser que tenha um escorregão e acabe com tudo. Este ano da administração de Bruno está sendo satisfatório. Não há nada que diga que não compensou votar m Bruno.  Mas não quer dizer com isso o que Bruno apoiar seja o melhor. Você tem filhos maravilhosos, mas não quer dizer que com quem eles casaram são maravilhosos por que casou com sua filha. Cada um seus defeitos e suas qualidades.

Bahia Repórter- Recentemente ACM Neto disse que não enxergava empolgação no senador Jaques Wagner para disputar o governo. Qual a opinião do senhor a respeito da declaração dele? 

Lúcio Vieira Lima – Aí só quem pode responder é ACM Neto. 

Bahia Repórter- Mas o senhor sente o que? 

Lúcio Vieira Lima – Quando eu era novo. Eu pensava… aquela moça tá afim de mim. Quando eu ia lá tomava um toco. Então, cada um tem sua maneira de avaliar. Eu posso ficar seis meses de luto e um irmão tá pulando carnaval nos próximos dias, mas não quer dizer que eu esteja sofrendo mais que ele. Ou seja, ele pode tá sofrendo muito mais que eu. Mas usa aquilo como defesa, estratégia. Não sou que vou dizer que Wagner, ACM Neto… estão alegres ou triste. 


A entrevista foi realizada na sede no MDB baiano

Bahia Repórter – Se fala nos bastidores políticos que há uma possibilidade do candidato ao governo ser o senador Otto Alencar. O senhor já ouviu este burburinho? 

Lúcio Vieira Lima – Eu não faço política por imprensa ou por ouvir falar. Se ouve falar que Otto vai ser candidato, também se ouve que João Leão não abre nem para o trem, que Rui sairá para o senado , que Wagner é o candidato ao governo. Do lado de João Roma ele e Raíssa, tem Aleluia .. Sempre tem especulações. Mas de ouvir dizer …. já ouvi tanto em minha vida e, inclusive, são impublicáveis e nem repito – já que daí é que surge o nome: fofoca.

Política

Com distância de poucos quilômetros, Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet cumprem agenda no mesmo dia em Salvador

Publicado

em

Pela primeira vez nesta corrida eleitoral, os quatro principais pré-candidatos a presidente visitarão a mesma cidade no mesmo dia: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o presidente Jair Bolsonaro (PL), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) cumprirão agenda neste sábado em Salvador, mas em locais e horários distintos.

O aceno ao eleitorado baiano — o quarto maior do país, com 11 milhões de eleitores — ocorre no dia 2 de julho, um feriado estadual. A data é conhecida como Independência da Bahia porque foi quando os portugueses foram expulsos do estado, dez meses após a independência formal do Brasil. 

Os quatros presidenciáveis estarão em um raio de poucos quilômetros, mas não estarão juntos, com exceção de Ciro e Tebet. Os dois irão participar do tradicional cortejo cívico, que ocorre todos os anos. A previsão é que o desfile comece às 7h30, no Largo da Lapinha.

A cerca de oito quilômetros, no Farol da Barra, apoiadores de Bolsonaro começarão a se concentrar às 8h para uma motociata, que contará com a presença do presidente e do seu pré-candidato ao governo, o ex-ministro e deputado federal João Roma (PL).

Mais tarde, às 10h30, está marcado um ato com Lula na Arena Fonte Nova, a seis quilômetros de distância do Farol da Barra. Está prevista a participação do governador Rui Costa, do senador Jaques Wagner, ambos do PT, e do pré-candidato do partido ao governo estadual, o ex-secretário Jerônimo Rodrigues. 

Inicialmente, a concentração da motociata de Bolsonaro estava marcada para ocorrer nos arredores da Fonte Nova, mas o local foi alterado para evitar conflito com os apoiadores de Lula. 

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que mil policiais vão participar da segurança do cortejo, mas não divulgou se haverá um esquema específico para os locais de concentração de Bolsonaro e Lula. 

Com exceção de Lula, os outros três pré-candidatos já tiveram agendas públicas na Bahia na sexta-feira. Bolsonaro visitou obras em Feira de Santana e Maragogipe.

Globo

Continue lendo

Política

Filho de Bolsonaro diz sofrer terror psicológico do pai e apanhar da mãe

Publicado

em

Jair Renan, quarto filho do presidente Jair Bolsonaro (PL), revelou que sofre “terror psicológico” do pai e que ainda apanha da mãe, Ana Cristina Valle. A declaração foi feita na edição mais recente do próprio podcast do “04”, em que ele recebeu o cantor Negão da BL como convidado.

“Minha mãe me bate e ele [meu pai] faz terror psicológico. Eu prefiro que me bata do que faça minha cabeça, falar no meu ouvido. Aquilo que eu fico duas semanas pensando no que ele falou”, contou Jair Renan.

Segundo Jair Renan, depois que os pais se separaram, ele morou por seis anos com Bolsonaro, enquanto a mãe morava no exterior. Ele ainda relatou que, nesse período, o pai o segurava dentro de casa, não deixando que saísse. Hoje, o “04” mora com a mãe, em Brasília.

“Aqui em Brasília é até engraçado. É diferente de qualquer lugar do Brasil, aqui tem baba ovo, puxa-saco, um dando pernada em outro. Os influenciadores se matam, ninguém quer ver o outro crescer. Ainda mais por ser capital do país, cidade política, o negócio aqui é intenso”, criticou.

Continue lendo

Política

Oito pessoas são baleadas na Estação Pirajá

Publicado

em

Oito pessoas foram baleadas na Estação Pirajá, em Salvador, no fim da tarde desta sexta-feira (1º). Por meio de nota à imprensa, a CCR Metrô confirmou o episódio e disse que está apurando a ocorrência de disparo de arma de fogo. 

Ainda segundo o órgão, as primeiras informações indicam que o autor do disparo acessou o terminal de ônibus através da área externa.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Salvador, seis pessoas foram encaminhadas por meios próprios para a UPA Pirajá/Santo Inácio; uma outra vítima foi levada para a UPA de São Caetano; uma vítima veio à óbito no local. 

Continue lendo
Propaganda
Propaganda

Tópicos populares

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Conteúdo protegido